UERJ UERJ Mapa do Portal Contatos
Menu
Home > Atualidades > Notícias
Prefeitura retoma programa de limpeza de rios, feito em mutirões com moradores de favelas

19/04/2018

Alvos constantes de poluição e de más práticas de preservação, os rios da cidade têm nova chance de se recompor. A Secretaria municipal de Conservação e Meio Ambiente (Seconserma) retomou o programa Guardiões dos Rios, extinto em 2016 e agora batizado como Conservando Rios. O projeto manterá sua essência: empregar moradores de comunidades que farão o trabalho de limpeza de lixo superficial de rios e canais e ajudarão na educação ambiental da população. A diferença, agora, é que os agentes vão ser contratados diretamente pela prefeitura. Antes, isso era feito por meio de ONGs.
Os dois primeiros rios a serem atendidos pelo projeto foram o Carioca (que, com cerca de 5,6km de extensão, segundo a Fundação Rio Águas, nasce no Parque Nacional da Tijuca e deságua na Baía de Guanabara, na altura do Flamengo) e o Piraquara, em Realengo, na Zona Oeste. O programa contemplará um total de 25 cursos d’água na primeira fase.
— Escolhemos o Rio Carioca para iniciar o projeto por uma questão emblemática. Ele está ligado à História da cidade há muito tempo (durante toda a época colonial, foi a principal fonte de água doce da população) — diz Humberto Antunes, gerente de recursos hídricos e sólidos da Subsecretaria de Meio Ambiente, ramificação da Seconserma.
O esquema de operação pode variar em cada um dos 25 rios, dadas as suas particularidades, mas algumas atribuições são iguais. A limpeza, por exemplo, não deve se limitar à remoção de lixo na faixa d’água, estendendo-se a galerias e ralos de rua. No Carioca, o programa terá a participação de moradores das comunidades do Cerro-Corá e dos Guararapes, ambas no Cosme Velho. Embora o rio tenha somente três pontos a céu aberto (na Floresta da Tijuca; no Cosme Velho, em frente ao Largo do Boticário; e no Aterro do Flamengo), o projeto vai se concentrar no trecho inicial, mais próximo das favelas, eventualmente se dirigindo à segunda parte. O trabalho já está em andamento, de acordo com Antunes, e ocupa uma faixa que vai de 2,5km a 3,5km.
A ação de limpeza também prevê um trabalho educativo com os moradores das comunidades, pensado com a intenção de alertar para as consequências de jogar lixo nos leitos. Essa parte fica a cargo de um agente ambiental, que assume a frente de serviço e não se limita apenas à vizinhança, estendendo as visitas instrutivas a escolas da rede pública. Antunes informou, no entanto, que a parte escolar ainda não começou e deve ser iniciada em maio.
— O programa deixou de ter um enfoque único na limpeza de resíduos e agora desempenha uma postura de mais conservação. Além do representante educativo, cada mutirante é um agente ambiental, e isso representa uma mudança de paradigma em relação ao que havia antes — conta o representante da secretaria. — A equipe mais eficiente não é a que mais retira lixo, mas a que faz menos gente jogar.
Os grupos de trabalho são formados pelos limpadores (no Rio Carioca, são oito), um agente ambiental e um encarregado, a quem os outros se reportam. Os mutirantes e agentes ganham uma bolsa-auxílio de R$ 1 mil, e o responsável, de R$ 1.250. Todos são indicados pela própria comunidade, em decisão tomada por entidades competentes como a associação de moradores, e avaliados em seguida pela secretaria.
O programa também vai usar recursos da Ternium, mas apenas na compra de equipamentos. A maior parte virá do orçamento próprio da pasta. No total, serão cerca de R$ 2 milhões para um ano de serviço.

Fonte: O Globo

Novidades

Prefeitura retoma programa de limpeza de rios, feito em mutirões com moradores de favelas

19/04/2018

Alvos constantes de poluição e de más práticas de preservação, os rios da cidade têm nova chance de ...

´Lixão´ vira horta comunitária cuidada por crianças e moradores em Araraquara

19/04/2018

Moradores e crianças do bairro Residencial Maria Luiza, em Araraquara (SP), transformaram um terreno...

Estudo encontra até 1,4 milhão de fungos e bactérias em latinhas e garrafas de ambulantes

19/04/2018

Aquele momento de matar a sede em engarrafamentos ou em passeios a pé precisa de mais atenção dos co...

Expedição descobre corais dentro de área destinada à exploração de petróleo na costa do Amapá

19/04/2018

Em nova expedição pelos corais descobertos nos últimos anos na foz do rio Amazonas, no Norte do Amap...

MPF pede que Ibama indefira exploração de petróleo na foz do Amazonas

19/04/2018

O Ministério Público Federal (MPF) no Amapá expediu recomendação hoje (18) para que o Instituto Bras...

A criativa solução da Noruega para acabar com o lixo plástico nos oceanos

19/04/2018

A Noruega tem o que especialistas consideram o melhor sistema de reciclagem de garrafas plásticas do...